Arquivo da categoria: Eik

Eik – Speglun (1976)


Nesse primeiro álbum do Eik,as harmonias vocais cantadas em islandês dão lugar ao vocal cantado em inglês e todo influenciado pelo funk.Mas as influências funk não são apenas vocais,Funky Beat e Stormy Monday são ótimos exemplos: batidas firmes de bateria juntas ao baixo preciso são base para solos de sintetizador e guitarra,combinados com um vocal instigante e até com refroezinhos.

Memories é muito bonita,principalmente pelas harmonias vocais.Isso é até um ponto interessante: Eik muitas vezes nos conquista pelos vocais;assim como Kaipa,outra banda dos países nórdicos.

Lullaby é muito interessante.É introduzida apenas por flauta e violão,fazendo o ouvinte imaginar que a música será assim durante todos seus nove minutos.Mas,logo depois,a batida e o vocal funk surgem e tornam tudo mais suingado.E assim a música vai,alternando entre passagens mais sinfônicas e o funk.

Hugssin é completamente instrumental com flauta e órgão hammond em destaque e muito emocionantes.

A faixa-título,tabém é instrumental e alterna entre solos de guitarra,flauta e tudo o mais.

Eik consegue misturar com maestria o gingado funk e o sinfonismo do prog rock,fazendo um álbum bom para todos os gostos: pra quem gosta de música mais animada e dançante e pra quem gosta de música mais relaxante e bonita.

O período de atividade da banda foi de 1971 a 1978,em que só foram lançados dois trabalhos (1976 e 1977).

Lista de músicas

01. Stormy Monday
02. Memories
03. Funky Beat
04. Lullaby
05. Hugssin
06. Speglun

Músicos

– Magnus Finnur Johannsson / vocals, flute
– Thorsteinn Magnusson / guitar, Mini Moog, vocals
– Petur Hjaltested / keyboards
– Asgeir Oskarsson / drums
– Haraldur Thorsteinsson / bass, percussion, vocals
– Tryggvi Julius Hubner / guitar, percussion, vocals

Download

Eik – Hriland Og Straumurinn

Antes de conhecer esse álbum, eu tinha certo receio de ouvir bandas muuuuuuuuito desconhecidas. Mas depois de ouvir esse trabalho do Eik ,perdi o preconceito e concluí que o som da banda é o que importa, e não de onde ela vem ou se é pouco ou muito conhecida.
Na primeira vez que escutei, senti medo com a introdução da primeira música e achei os vocais cantados em islandês meio estranhos, mas também senti que aquela música diferente de tudo que eu já havia ouvido tinha potencial. E assim foi: ouvi mais umas três vezes e viciei.
O álbum em questão foi o último da banda,lançado em 1977. Seu som tem grande influência da música clássica ,rock,jazz e funk, que dá um ar dançante, representado principalmente pelo baixo e pela bateria.
Os vocais são todos em islandês, o que pode assustar o ouvinte em primeiro momento,mas que depois tornam-se muito bonitas e até emocionantes.Na primeira música já temos um exemplo da beleza que é vocal islandês e da beleza que são as harmonias vocais sincronizadas da banda.E, a partir daí, ouvimos um “funk nórdico” de primeira.
Todas as músicas são muito boas,alternando entre solos de flauta,violão,órgão hammond,sintetizadores,guitarra,xilofone e tudo o que o progressivo sinfônico tem direito!

Download