Eu não amo ninguém

No que me pese o gosto de todos as paixões, nenhum será tão doce quanto o próprio sabor desta música. Está aí a eficácia de certa produção de som levada a cabo por certos veículos astrais humanos com sensibilidade apurada: descongestionar a energia acumulada nos centros de força e da psique – pois mesmo as sensações ditas afetuosas ou benevolentes constituem excesso de sentimentalismo tolo e ingênuo quando situadas no picadeiro de conspirações impessoais da ninfomania pós-moderna.

Viver em busca de um amor é rasgar lentamente com um punhal a carne do meu próprio coração.

Amo esta guitarra distorcida, amo a harmonia vocal sussurrante, amo a estética das sensações, amo (…) e viveria em sonho toda uma vida com a cor púrpura destas ondas mecânicas que amo,

mas não amo a pessoa alguma, além daqueles que devo amar pelo próprio dever da gratidão cosmogônica.

Loveless.

Uma opinião sobre “Eu não amo ninguém”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s